segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Verdadeira ou Falsa, a Informação vai Chegar!

No sábado que passou, o site da Capricho, uma importante revista dirigida a adolescentes brasileiros, divulgou informações falsas sobre o ídolo teen Justin Bieber. O site informava, em matéria sensacionalista, que Justin havia assumido sua homossexualidade e, por estar enfrentando problemas pessoais, teria cancelado seus shows no Brasil. Como pode ser visto na imagem abaixo, o responsável pela matéria não deixou indícios de que a informação era falsa e logo o boato se espalhou por toda a rede.




A repercussão da noticia deu-se nas principais redes sociais e surpreendeu fãs do cantor, que aguardavam ansiosamente seus shows em 05, 08 e 10 de outubro. Diante do fato, o nome de Justin atingiu o trending topics do Twitter e o link para a matéria já era divulgado por várias pessoas no Facebook, em blogs e outras redes sociais.


Diante desse acontecimento inesperado, podemos nos dar conta de alguns pontos importantes:

  1. Na web, nenhum site está livre dos hackers e sua criatividade para cometer crimes digitais. O que se pode fazer é manter um rastreamento constante e traçar estratégias para contornar o problema.
  2. Depois de lançada, verdadeira ou não, a informação vai chegar a sua audiência. Sendo assim, é importante desenhar estratégias para mitigar o risco, ou seja, amenizar o problema, caso ele venha a acontecer. o caso apresentado aqui, a Capricho usou de uma estratégia voltada para a responsabilidade social. No link da página, onde foi publicado o boato, agora consta um pedido de ajuda para a instituição AACD, seguida do seguinte apelo: vamos transformar esse erro em um acerto?
  3. Por fim, se antes das redes sociais as informações já se propagavam rapidamente por e-mail e sites, agora fica ainda mais fácil e ágil transformar uma notícia plantada em um fato. As pessoas multiplicam a informação assim que elas são publicadas, transformam em novos posts, links, imagens e tópicos, que ficarão presentes por anos em seus históricos, mesmo depois que o link para a página não existir mais.

Diante desses pontos, só nos resta concluir que as redes sociais trazem os dois lados da moeda em se tratando da propagação da informação. É o homem (no caso da empresa, a equipe), que está por trás das máquinas, que deverá prezar pela veracidade de seus conteúdos na Web, tendo a ciência de que sempre estará vulnerável a novos ataques de propósito duvidoso.


Por isso, caro leitor, estar atento é preciso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário