segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A Era dos Dados Abertos e as Redes Sociais


Na última sexta-feira, a Equipe Réseau esteve na Câmara Municipal de São Paulo acompanhando o seminário intitulado A Era dos Dados Abertos, que teve como principal objetivo discutir o processo de abertura dos dados públicos daquela casa legislativa aos cidadãos, de forma que se torne mais fácil a participação popular, principalmente no que diz respeito à fiscalização do uso do dinheiro público.

Como não podia deixar de ser, um dos grandes pontos de discussão foi a maneira como o cidadão poderá usar os dados que lhe forem disponibilizados. Não basta deixá-los disponíveis, mas dar as condições para que façam sentido, que possam ser utilizados para a geração de conclusões simples e diretas a respeito da vida da população e, principalmente, se suas necessidades estão (ou não) sendo atendidas.

Por conta disso, além da abertura dos dados em si, foi bastante discutido o papel das redes sociais neste processo. Tem-se acompanhado, ao longo dos últimos meses, tanto na cidade de São Paulo, como nos mais diversos cantos do planeta, o resultado da capacidade de mobilização em torno de causas políticas, tanto dentro da rede como no mundo real. É fácil concluir, diante de fatos como o Churrasco da Gente Diferenciada e a Primavera Árabe, que o caminho para uma sociedade mais justa passa pela capacidade de mobilização e fiscalização das atividades políticas, e as redes sociais são um importante instrumento para o alcance desse objetivo.

É em consonância com essa capacidade de mobilização crescente, e a partir do uso destas inúmeras ferramentas, que entidades como a Transparência Hacker e a Rede Nossa São Paulo estão buscando o envolvimento das pessoas com o que antes era conhecido como inacessível e repugnante: o universo da política.

No fim das contas, mobilizar é preciso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário